Opera no Terminal maior navio de contêiner do país

16.06_APL Paris11

Dia 16 de junho de 2020 ficará marcado na história do Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes. A região recebeu o maior navio porta-contêineres a operar na Costa Brasileira. Com 347 metros de comprimento e 45,2 metros de largura (boca), o APL Paris atracou na Portonave, na margem esquerda do Rio Itajaí-Açu.

Com capacidade para transportar 10.789 TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés), o APL Paris deve movimentar, para exportação, contêineres com carne congelada e madeira serrada. Na descarga, serão contêineres vazios. No dia 17, quarta-feira, ele desatracou, navegou à ré até a área de manobra da nova Bacia de Evolução, girou e seguiu seu curso.

Para se ter uma ideia da grandeza da embarcação, comparativamente, o comprimento do APL Paris equivale a 73 Ferraris, 3 estádios do Maracanã ou 9 estátuas do Cristo Redentor.

A embarcação pertence ao armador CMA/CGM, veio de Caucedo, na República Dominicana, e agora segue para Singapura, na Ásia. Foi um “extra call”, uma atracação única na América do Sul, não é uma linha regular. A Portonave foi escolhida para a escala por ser um dos únicos portos no país com capacidade operacional para receber o navio, somando a estrutura operacional do Terminal com a estrutura de acesso – a nova Bacia de Evolução. “A opção do armador pela escala exclusiva na Portonave no país demonstra confiança em nossos serviços e nos firma como um dos portos que recebe embarcações desse porte”, comenta o Diretor-Superintendente Operacional da Portonave, Renê Duarte.

O Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes está consolidado na rota das grandes embarcações que navegam na costa brasileira. Neste mês de junho, já recebeu cinco escalas de navios gigantes. “Isto é a concretização de um planejamento e um trabalho. Fico muito feliz com este marco. Isto mostra a nossa competitividade”, comenta o superintendente do Porto de Itajaí, Marcelo Salles. Para ele, todos fazem a diferença nesta conquista, quando apoiam politicamente, quando ajudam na captação de recursos, quando torcem pelo crescimento da atividade.

Nova Bacia

Para a Portonave, a escala é motivo de orgulho. “ Representa uma quebra de paradigmas para o nosso Complexo, pois anteriormente tínhamos restrições e agora recebemos o maior navio porta-contêineres que já navegou na nossa Costa”, comemora o Diretor-Superintendente Administrativo da Portonave, Osmari de Castilho Ribas. O recebimento deste gigante só foi possível porque ficou pronta em janeiro a nova área de manobras que possibilitou aos portos de Navegantes e Itajaí receber navios com mais de 306 metros de comprimento. O Complexo está apto para receber navios de até 350 metros de comprimento por 48,50 de boca.

A capacidade de receber navios maiores significa um ganho para a economia de toda a região e do país. Vale lembrar que o Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes é o segundo maior movimentador de contêineres do país, responde por 70% da balança comercial do Estado e 5% da balança comercial do país. Em Santa Catarina, as atividades do setor representam 27,2% do total de empregos, segundo a FIESC.

Para tornar o Complexo ainda mais competitivo, e poder receber navios de até 400 metros de comprimento e 65 metros de largura, é necessário que se dê andamento às obras da segunda fase da Bacia de Evolução. Há previsão de recursos da União de aproximadamente R$ 250 milhões, previstos no Plano Plurianual (PPA – Ministério da Infraestrutura) de 2020 a 2023. A obra está projetada e licenciada ambientalmente, mas não há qualquer previsão de início dos trabalhos até agora.

Postado por Melissa
[18/06/2020]